Pular para o conteúdo principal

Para ficar gostosa no Carnaval




Seja nos blocos de rua, clubes, praias, em festas por todo o País ou mesmo em retiros, longe da bagunça, o Carnaval nos proporciona cinco dias de curtição. Goste ou não, de 24 de fevereiro até 1º de março, as atividades carnavalescas devem movimentar cerca de R$ 5,8 bilhões, de acordo com pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). É dinheiro, hein?! Uma parte disso será gasta em bebidas, fantasias, biquínis e... lingeries. 

A parte das lingeries me chamou a atenção. Já parou para pensar sobre qual é a peça íntima ideal para aproveitar esses dias? De acordo com Júnior Zampol, diretor do Grupo Lutestil, fabricante da marca LUT, de moda íntima feminina, o ideal é usar modelos que sejam sensuais e que ao mesmo tempo proporcionem conforto. É uma época em que as mulheres optam por lingeries que aflorem a sensualidade, o que, por vezes, torna-se desconfortável. 


Pensando nisso - nessa mulherada que quer ficar gostosa, tanto no ver, como no sentir -, há alguns anos foram lançadas no mercado as tangas fio duplo, que além de despertar a sensualidade presente na mulher brasileira, trazem o conforto e não marcam na roupa ou fantasia. São vários modelos em microfibra, renda e até com um detalhe de bijuteria para aumentar o brilho feminino. A linha também tem sutiãs.

Dá só uma olhada nos modelos da Lutestil que separei para que a mulherada que lê o blog possa fazer sua escolha:

Tangas fio duplo







Hanky Panky

Outro modelo bem legal e lindo, são as calcinhas Hanky Panky, em diversas padronagens, como animal print, flores, tie dye, com laços e também plus size (aí, sim!). Este modelo de calcinha, que também ganhou sua versão similar na moda praia.

São duas cores: rosa com branco e azul. Também tem o modelo na cor branca, criado especialmente para as mulheres plus size (a foto do início do texto é um modelo Hanky Panky Plus Size)... mas eu adoraria usar outras cores. 

Dá só uma olhada nos modelos usados pela modelo Nicole Bahls:






Hot Pants
Outra calcinha confortável e boa dica para o Carnaval, é a que fez muito sucesso nos anos 1970. As Hot Pants ficaram bastante conhecidas por fazerem parte do uniforme da Mulher Maravilha. Hoje, são preferidas de atrizes como a lindinha da Bruna Marquezine, sejam em shorts curtos e/ou calcinhas com cintura alta.
As Hot Pants são uma tendência, pois valorizam a silhueta feminina e não marcam o quadril. Além disso, o modelo é caracterizado por trazer um estilo mais retrô, sem deixar de lado a sensualidade. 
E não é só nos biquínis que as Hot Pants fazem sucesso. Elas combinam com diversos estilos e podem ser usadas com vestidos transparentes. No verão, o modelo se transforma em shorts de diversos tecidos, especialmente o jeans. 

Olha só os modelos plus size que separei para vocês: 




É isso! Quem não gosta de uma boa lingerie? Eu adoro e acho bacana a gente ficar, também na moda íntima, up to date com as tendências! 

Beijos de confete para vocês!

Dani


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ação social incentiva pessoas a somar nas diferenças

Neste sábado (22), das 15h às 18h, o Casarão do Turismo de Piracicaba, na Rua do Porto, se transformará num espaço de amor, tolerância, conhecimento, troca de experiências e bem-estar. É o 1º Evento de Férias: Somando Diferenças, com a finalidade de ajudar a transformar o olhar da sociedade em relação às deficiências e desmistificar o conceito de diferença entre as pessoas. 
O evento é gratuito e aberto a todos, uma grande oportunidade para vivenciarmos essa integração e participarmos da programação, voltada a crianças e adultos, como música, intervenções artísticas, atividades corporais, apresentação teatral, roda de histórias, artesanato e brincadeiras.
A organização tem a participação da assistente social Lucy Mazeto e de Euclidia Fioravante, diretora do Espaço Pipa, que atende crianças com síndrome de Down e suas famílias e de onde partiu a parceria, além das psicólogas Jenifer Crescêncio e Mariana Ricci Sahuquillo, que por graça divina é minha filha.
A iniciativa surgiu do desejo de…

Playlist para se despedir de Belchior

Morreu o Belchior - e podem me chamar de brega, mas meu coração doeu. Minha filha estava em casa quando o Raphael, sabendo o quanto sou fã, me deu a notícia ouvida pela TV, falando de mansinho. A Mariana, aos 24 anos, disse não se lembrar dele, até que eu cantasse trechos de quatro ou cinco músicas, entre elas Como Nossos Pais, eternizada pela Elis, para ela identificar e lamentar.
Eu tinha a idade de minha filha quando o conheci pessoalmente, em um show na Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba), onde eu estudava Jornalismo. Me lembro de ficar impressionada com o tamanho daquele homem e de sua cabeça, com seu sotaque fortemente nordestino, que ficava charmosíssimo no francês ou no inglês. Bom papo, educado e inteligente, um homem no mínimo interessante, que se portava, naquele ambiente universitário, mais como professor do que como artista. Conversamos muito e ele, como excelente compositor, me deu uma caixa com gravações de suas canções por diversos cantores desconhecidos, em …