Pular para o conteúdo principal

1º Festival Romã convida à busca do bem-estar em família


Pensa num lugar maravilhoso, onde a natureza conversa com a gente e o céu parece nos abraçar imensamente. Sem exageros, mas o Romã Ashram é mesmo um lugar que inspira poesia. É fato que nossa entrega às exigências do cotidiano tem nos levado à necessidade de retomar nossas essências, voltar os olhos à natureza e valorizar esse contato como forma de prazer. 
O Romã Ashram é um espaço holístico que oferece tudo isso na integração entre corpo, mente e espírito. Fica em uma chácara de 7.000 metros quadrados, localizada no condomínio Floresta Escura, logo na entrada para Águas de São Pedro, e é voltado a proporcionar a pessoas de todas as idades a oportunidade do cuidado de si, do autoconhecimento e de uma vida sustentável e equilibrada. 
Para que mais pessoas conheçam os benefícios proporcionados por esse lugar, a Alessandra Junqueira e o Tiago Gaeta, donos de lá, vão abrir suas portas para receber o público neste sábado, dia 03 de junho, das 8h às 20h, com atividades gratuitas para todos. É o 1º Festival Romã.
A chácara toda arborizada, conta com dois lagos com peixes, águas medicinais e a beleza da flor de lótus, uma bela vista ao horizonte verde e sons da natureza. Durante o festival, as pessoas terão a chance de conhecer as atividades desenvolvidas pelos profissionais do local, nas áreas interna e externa, ampliando o foco dos cuidados, muitas vezes simples, para se viver bem.
Idealizadores do espaço há cerca de um ano e meio, Alessandra e Tiago contam que o festival será a soma de todas as atividades desenvolvidas pelos parceiros que atuam no Romã Ashram, deixando o público livre para conhecê-las, buscar a identificação com elas ou simplesmente relaxar com a família, incluindo as crianças.

Entre as ações previstas para o dia do festival, estão práticas de yoga, técnicas de consciência corporal e respiração, danças circulares, tenda da lua, exibição de documentário, feira e preparo de alimentação crudivegana, roda de conversa, música, meditação, terapias, palestras, workshops e vivências astrológicas. Para a noite, está programada também uma roda em torno da fogueira. Especialmente para as crianças, haverá contação de histórias, prática de yoga e brincadeiras. E ainda um trabalho de educação  em agroecologia e o plantio de árvores nativas para proteger as margens do rio Araquá, que fica ao fundo do Romã Ashram.
“As pessoas vão experimentar um dia em equilíbrio com a natureza, poder comer de forma saudável, enquanto trazemos informações e reflexão sobre a alimentação viva”, disse Alessandra.
Os visitantes poderão estacionar no local, onde também há espaço para alimentação. A orientação dos idealizadores é para que as pessoas usem roupas leves, lembrando que algumas atividades lidam com a terra, e levem esteiras para participar das atividades físicas e das práticas em solo. À noite pode esfriar, por ser um espaço aberto.

Como chegar
O Romã Ashram fica à rua das Violetas, 198, no bairro condomínio Floresta Escura, à rodovia Geraldo de Barros (SP-304, Piracicaba – São Pedro), em Águas de São Pedro. Para chegar, o visitante entra pelo restaurante do Lago, segue por cerca de um quilômetro pela estrada lateral, até a portaria do condomínio Floresta Escura, vira à esquerda, segue até o final da rua e vira à direita, por mais alguns metros. O GPS indica caminho que pode confundir o visitante, por isso recomenda-se entrar em contato para qualquer dúvida.
1º Festival Romã, no Espaço Romã Ashram
Sábado (03), das 8h às 20h, com entrada e participação gratuita nas atividades. A programação completa do festival pode ser solicitada por e-mail, Whats App ou conferida pelo Facebook do espaço: @roma.ashram.
Informações: contato@romaashram.com.br
(19) 9.8179.7117 - Alessandra I (14) 98136 9654 - Tiago 

Dá uma conferida na programação e no mapa para chegar. Nos encontramos lá!! 
Beijão, 
Dani

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Alunos do Senac apresentam peça inspirada em obra de Nelson Rodrigues

Uma boa dica de diversão e cultura para dar start no final de semana, é o espetáculo "Devaneios sobre um Vestido de Noiva", que será apresentado nos dias 19 e 20 de outubro, às 20 horas, no Teatro do Sesi, em Piracicaba, pelos alunos do curso técnico de Teatro do Senac. A peça é inspirada livremente em "Vestido de Noiva", obra do escritor e dramaturgo brasileiro Nelson Rodrigues. As apresentações são gratuitas e os ingressos podem ser retirados com uma hora de antecedência no local.
Considerado pela crítica especializada como um divisor de águas na modernização do teatro brasileiro, Nelson Rodrigues fornece obras com amplas possibilidades de releituras e abordagens. 
Embebecida no expressionismo, movimento artístico e literário que surgiu na Alemanha no fim do século 19, a peça emociona sem a preocupação com o padrão de beleza tradicional. Partindo desse ponto, os alunos da 9ª turma optaram pelo universo rodrigueano dentro do projeto do módulo de montagem teatral, qu…

Ação social incentiva pessoas a somar nas diferenças

Neste sábado (22), das 15h às 18h, o Casarão do Turismo de Piracicaba, na Rua do Porto, se transformará num espaço de amor, tolerância, conhecimento, troca de experiências e bem-estar. É o 1º Evento de Férias: Somando Diferenças, com a finalidade de ajudar a transformar o olhar da sociedade em relação às deficiências e desmistificar o conceito de diferença entre as pessoas. 
O evento é gratuito e aberto a todos, uma grande oportunidade para vivenciarmos essa integração e participarmos da programação, voltada a crianças e adultos, como música, intervenções artísticas, atividades corporais, apresentação teatral, roda de histórias, artesanato e brincadeiras.
A organização tem a participação da assistente social Lucy Mazeto e de Euclidia Fioravante, diretora do Espaço Pipa, que atende crianças com síndrome de Down e suas famílias e de onde partiu a parceria, além das psicólogas Jenifer Crescêncio e Mariana Ricci Sahuquillo, que por graça divina é minha filha.
A iniciativa surgiu do desejo de…

Playlist para se despedir de Belchior

Morreu o Belchior - e podem me chamar de brega, mas meu coração doeu. Minha filha estava em casa quando o Raphael, sabendo o quanto sou fã, me deu a notícia ouvida pela TV, falando de mansinho. A Mariana, aos 24 anos, disse não se lembrar dele, até que eu cantasse trechos de quatro ou cinco músicas, entre elas Como Nossos Pais, eternizada pela Elis, para ela identificar e lamentar.
Eu tinha a idade de minha filha quando o conheci pessoalmente, em um show na Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba), onde eu estudava Jornalismo. Me lembro de ficar impressionada com o tamanho daquele homem e de sua cabeça, com seu sotaque fortemente nordestino, que ficava charmosíssimo no francês ou no inglês. Bom papo, educado e inteligente, um homem no mínimo interessante, que se portava, naquele ambiente universitário, mais como professor do que como artista. Conversamos muito e ele, como excelente compositor, me deu uma caixa com gravações de suas canções por diversos cantores desconhecidos, em …